O que é o BERT do Google e como ele afetará suas estratégias online?

O que é o BERT do Google e como ele afetará suas estratégias online?

O Google inovou mais uma vez ao mudar a forma como fazemos pesquisas e como as respostas são dadas. Já entrou em operação uma das maiores inovações dos últimos tempos da gigante de buscas: o BERT, sigla para Bidirectional Encoder Representations from Transformers. Esse novo algoritmo facilitou o entendimento do que as pessoas realmente desejam pesquisar na plataforma para, assim, entregar melhores resultados.

A mudança traz novos desafios para gestores de marketing e profissionais de SEO, já que altera bastante a dinâmica entre palavras-chave e resultados. Agora, a plataforma está mais perto de entender as intenções humanas, e isso diz muito sobre o principal objetivo da maioria das estratégias de marketing atuais, que é estreitar o relacionamento com o público.

Neste artigo, falaremos mais sobre o BERT do Google, quais as principais diferenças em relação ao modelo antigo e como ele impacta as estratégias online das empresas. Confira!

O que é o BERT do Google?

Esse é o novo algoritmo de pesquisa que chegou para complementar o RankBrain, sistema lançado em 2015 que usava palavras-chave para determinar quais resultados seriam mostrados.

No modelo atual, é considerado todo o contexto da frase, o que inclui todas as palavras. Isso quer dizer que a ferramenta pode avaliar expressões, gírias, fatos, entre outros termos para decidir qual a real intenção do usuário ao fazer a pesquisa.

Agora, o Google tenta entender o contexto geral da frase, em vez de apenas certas palavras-chave. Assim, poderá evitar ambiguidades e dar resultados mais precisos, e não só baseados na relevância da página. Além disso, é uma forma de o buscador entender melhor pesquisas por voz, que já fazem parte do cotidiano de muitas pessoas com a Internet das Coisas.

O que muda em relação ao RankBrain?

Basicamente, o sistema antigo valorizava a combinação entre palavras-chave e a relevância das páginas. Isso, muitas vezes, poderia levar a resultados imprecisos e o usuário precisava fazer mais pesquisas para encontrar o que queria.

Assim, por exemplo, a pessoa que desejava saber mais informações sobre um produto poderia ter resultados que levassem a lojas virtuais, em vez de se deparar com um artigo que explicava o funcionamento do item.

Como exemplo, se uma pessoa pesquisasse “qual a melhor caixa de som para festas”, poderia aparecer uma série de lojas vendendo aparelhos de som, em vez de um artigo comparativo entre dispositivos de áudio. Portanto, a intenção é mais bem avaliada e cada palavra é considerada, inclusive a ordem delas na frase.

Como essa mudança afeta as estratégias online?

A grande mudança se dá na forma como os textos são escritos. Não que você precise rever todos os seus conteúdos, se eles já são “humanizados”. A questão é desencanar do ranqueamento de palavras-chave e entregar o que sua persona realmente busca. Então, não só certas palavras — ou apenas uma — contam, mas todo o contexto.

Assim, as SERPs direcionam mais conteúdos de valor para os usuários certos. Com isso, páginas que ranqueavam baseadas em palavras-chave, mas sem muito aprofundamento no assunto, podem cair algumas posições. Desse modo, as estratégias devem ser mais focadas no que seu público quer saber, e não em certa “ciência do ranqueamento”.

O BERT do Google revolucionou o modo como os usuários obtêm suas respostas e a interação entre empresas e clientes. Portanto, é necessário ficar de olho nas novidades relacionadas a esse novo algoritmo para entender, cada vez mais, como essa tecnologia impacta as estratégias online e o relacionamento com o público. O futuro promete!

Agora, continue se informando e saiba como melhorar seus conteúdos para alcançar a posição zero do Google.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *