3 dicas ideais para usar a estratégia de neuromarketing no negócio

3 dicas ideais para usar a estratégia de neuromarketing no negócio

Você tem ideia da importância de entender o funcionamento do cérebro humano para o mundo dos negócios? Faz muita diferença trabalhar o neuromarketing, conceito que está associado a estudos feitos para identificar o comportamento do consumidor diante das decisões cotidianas, inclusive, hábitos de compra.

Com base nisso, a empresa consegue desenvolver ações mais acertadas e melhorar o design dos produtos, o que aumenta o potencial de conversão. Além disso, o branding também pode ser beneficiado com uma estratégia de neuromarketing aplicada com eficiência.

Se você quer saber como aplicar o neuromarketing corretamente no negócio, continue a leitura e confira as nossas dicas!

1. Trabalhe com gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são como um filtro de dados que o nosso cérebro usa na hora em que tomamos decisões. Assim, decidimos e fazemos escolhas no “piloto automático”, sem percebermos ou termos consciência da ação que estamos realizando.

Essa condição evita o esgotamento mental e é bastante comum, principalmente, quando a pessoa está cansada, ou quando já executou uma atividade ou lidou com uma situação anteriormente.

É possível utilizar essa estratégia de várias formas em sua marca. Um exemplo é o lançamento de um modelo de celular no mercado, com funções diferenciadas e mais avançadas do que os antigos. A tendência é que muitas pessoas comprem o aparelho somente por ser uma novidade, e não por suprir uma necessidade específica.

Outro gatilho usado frequentemente no varejo é a urgência. Edições ilimitadas de produtos, por exemplo, transmitem uma sensação de que o consumidor precisa comprar rapidamente. Caso contrário, ele poderá perder uma grande oportunidade e não terá como voltar atrás porque ficará sem o item.

2. Explore os sentidos

Os cinco sentidos podem ser aliados para atrair a atenção dos compradores. Um som ou um cheiro agradável é capaz de despertar boas sensações nas pessoas, e aplicar essa estratégia para fornecer uma experiência positiva ao cliente costuma trazer ótimos resultados. Para isso, pense nos detalhes e invista em alternativas que agradam ao público e que possam ser associadas à marca.

A Melissa é um exemplo de bom uso do neuromarketing. O cheiro doce e bem característico é presente em praticamente todas as lojas, e essa particularidade torna o ambiente aconchegante para o público consumidor.

Além disso, as próprias sandálias contam com o cheirinho, o que é um diferencial para os compradores fiéis, que sempre fazem uma associação entre o cheiro e a marca.

3. Use as cores

A psicologia das cores é utilizada para despertar emoções e transmitir uma imagem sobre a marca. Por isso, entenda o perfil do seu público e descubra como atraí-lo por meio de um logotipo, anúncio ou outra divulgação usando a cor mais adequada.

Essa premissa também vale para o site do negócio. É essencial que ele seja bem estruturado e tenha as cores corretas, pois isso ajuda a aumentar tanto o tempo de permanência do usuário na página como as chances de conversão.

É comum que os consumidores criem sua primeira impressão com base no visual e nas cores apresentadas. Portanto, é necessário investir nesse tipo de estratégia para aumentar o reconhecimento da sua marca frente ao mercado.

O neuromarketing é uma estratégia eficaz que usa dados sobre o comportamento dos compradores para criar ofertas e ações acertadas. A questão é investir em métodos que despertem o interesse dos clientes e contribuem para a experiência positiva. Sendo assim, coloque as nossas dicas em prática para ter mais sucesso em suas vendas.

Curtiu o conteúdo? Leia também sobre a importância do design gráfico na estratégia de marketing!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *