Branding e identidade visual: como reposicionar uma empresa

Branding e identidade visual: como reposicionar uma empresa

O branding é um dos ativos mais importantes para qualquer empresa: é ele que transmite os valores e objetivos da firma para o público, seja através da identidade visual ou do posicionamento de vendas.

No entanto, vários motivos podem tornar seu branding ultrapassado: uma identidade visual defasada ou uma estratégia de marketing que esteja voltada ao público-alvo errado, entre outros. É nesses momentos que um reposicionamento de marca se faz necessário. Veja algumas dicas de como fazê-lo sem dificuldades!

1. Estude a proposta da empresa

Todo processo de reposicionamento começa com um questionamento simples: o que somos hoje e o que queremos ser a partir de agora?

Não é raro que, depois de alguns anos de trabalho, sua empresa perca o contato com as realidades do mercado ou com o público-alvo definido no início da trajetória, tornando toda a proposta de posicionamento ultrapassada e pouco efetiva.

A partir do diagnóstico do que está errado com a marca e seu impacto no público, é possível definir o que será mudado e o que será mantido ou apenas melhorado, e obter informações que serão usadas nos próximos passos do processo.

2. Reencontre seu público-alvo

Definir para quem seus produtos ou serviços são vendidos também faz parte de um processo de rebranding: muitos bons projetos de posicionamento já foram prejudicados por uma má avaliação pelo público consumidor. E é ele que associa sua marca e imagem diretamente à qualidade do que sua empresa oferece.

Veja, por meio de pesquisas e estudos, qual é o público que você deve atingir, segmentado por faixa etária, nível de renda ou profissão, por exemplo.

Uma alternativa interessante é a criação de buyer personas, perfis fictícios e detalhados daquele que seria o comprador ideal da empresa.

3. Crie (ou renove) sua logo

A logo é, de certa forma, a cara da empresa, o elemento responsável por transmitir, ao primeiro contato, os valores e objetivos da companhia. Dada sua enorme importância no impacto da marca, ela é o primeiro dos itens de identidade que devem ser revistos no processo de reposicionamento de marca.

Faça questão de avaliar se sua logo já não está esteticamente desalinhada com a atualidade, ou se o que ela transmite não é mais o que sua marca deseja transmitir.

Depois de elencar as necessidades de mudança, é hora de rabiscar e renovar ― ou mesmo criar do zero ― este item tão importante.

4. Tenha um manual de identidade visual

Muitas vezes confundida com a logo, a identidade visual é bem mais ampla do que pode parecer, englobando desde o vestuário dos funcionários até a comunicação exterior e eletrônica.

Mais importante do que ter sua identidade visual criada é certificar-se de que ela está sendo aplicada nos lugares devidos e da forma correta. A maneira mais fácil de garantir isso é por meio de um manual de identidade, que define as regras de implantação e padronização da marca nos mais diversos locais.

Padronização e consistência são as chaves de uma marca sólida, além de essenciais para um reposicionamento de sucesso.

Neste post, vimos a importância do reposicionamento de marca, assim como maneiras de planejar seu rebranding de forma impecável. Com planejamento e um conhecimento do que é preciso mudar, sua marca sairá do processo muito mais forte e pronta para atingir novos mercados!

Gostou do post? Aproveite e compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais!

siga-nos em nossas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *